Hoje é 19 de maio de 2024 01:41
Hoje é 19 de maio de 2024 01:41

​Terceirizado da Saneago aplicava golpe do falso boleto a clientes da empresa

Segundo Polícia Civil, pagamento do boleto fraudado era feito para uma empresa privada e não para concessionária, causando prejuízos aos consumidores
Alexsander Alves da Silva, de 18 anos, confessou a fraude, segundo a polícia, e deverá responder pelo crime de estelionato qualificado // Fotos: Divulgação/PCGO

Um funcionário terceirizado da Saneago foi preso suspeito de aplicar golpes a moradores de Goiânia e da Região Metropolitana. Segundo a polícia, ele gerava e encaminhava boletos falsos para quitação de débitos de contas de água.

Alexsander Alves da Silva, de 18 anos, foi preso em flagrante na última quarta-feira (27/3), por policiais da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic). Ele trabalhava para uma empresa que presta serviços à Saneago. O suspeito foi identificado após os policiais civis receberem notícia-crime de representantes da Saneago,

“Após intensas diligências e com colaboração da Saneago, os policiais identificaram o suspeito como integrante dos quadros de funcionários de uma empresa terceirizada de teleatendimento que presta serviços à Saneago”, explica o delegado Eduardo Gomes.

“Ao ser preso em flagrante, o rapaz confessou a prática do crime, informando o modus operandi de sua conduta criminosa, causando incontável prejuízo à Saneago e aos consumidores”, acrescenta.

Foram identificadas diversas vítimas que receberam os boletos confeccionados ilicitamente, tendo algumas, inclusive, efetuado o pagamento do documento.

Segundo o delegado Eduardo Gomes (foto), o homem preso se aproveitava de ter acesso às contas dos clientes da empresa terceirizadas, que entravam em contato para pagar contas vencidas ou sanar dúvidas. Com os dados, através de aplicativo, ele criava uma conta que gerava um QRCode e, por meio do WhatsApp ele, simulando ser representante da Saneago, entrava em contato com os clientes, mandava um boleto gerado por QRCode, mas os débitos não eram quitados.

“No primeiro momento, o autor admitiu ter ganho pelo menos R$ 10 mil com o golpe, o que ainda será apurado, já que ele não soube quantificar o número aproximado de vítimas”, conta Eduardo Gomes.

O delegado orienta os clientes em geral, ao pagar boletos, verificar o destinatário final do pagamento, que deve ser a empresa que presta o serviço, no caso a Saneago.

O rapaz foi autuado por estelionato qualificado. Ele deve responder por ter praticado estelionato contra as diversas vítimas, o que deverá aumentar significativamente a pena

A qualificação do investigado foi divulgada em decorrência da primazia do interesse público sobre o particular, pois possibilitará o reconhecimento deste, por parte de alguma pessoa que tenha sido vítima do mesmo, conforme os ditames da Lei 13.869/2019 e Portaria nº. 547/20231 – PCGO, conforme despacho autorizado pelo delegado de polícia responsável pela investigação.

Compartilhar em:

Notícias em alta