Hoje é 22 de maio de 2024 12:14
Hoje é 22 de maio de 2024 12:14

Rio Grande do Sul enfrenta tragédia climática com aumento no número de mortos e desaparecidos

O Corpo de Bombeiros Militar de Goiás enviou uma equipe de resgate para auxiliar nas operações de socorro em meio ao desastre hidrológico
Casas na cidade de Encantado, próximas ao Rio Taquari inundadas depois das chuvas Foto: Diego Vara / Reuters

Com um total de 154 municípios afetados pela chuva, 4.645 pessoas em abrigos e outras 10.242 desalojadas, o Rio Grande do Sul se encontra em uma situação alarmante. A tragédia já deixou 29 mortos e mais de 60 desaparecidos no estado.

O governador Eduardo Leite afirma que o número de vítimas pode ser ainda maior. “Com a mais profunda dor no coração, eu sei dizer que será ainda mais que isso, porque não estamos conseguindo acessar determinadas localidades”, disse o governante. Ele pediu ainda que os cidadãos levem a sério as recomendações de evacuação dos locais de risco. “Estamos em uma situação absurdamente excepcional”.

Em todo o estado mais de 328 mil pontos estão sem energia elétrica e 541,5 mil clientes não tem abastecimento de água, além disso, 494 escolas estão servindo de abrigo, foram danificadas ou tem problemas de acesso e transporte dos estudantes. De acordo com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), 139 trechos, entre estradas e pontes, em 60 rodovias da região estão bloqueados total ou parcialmente.

Um outro risco iminente é o rompimento da barragem do Blang, no Rio Caí, município de São Francisco de Paula. O local está em situação de emergência por isso o governador informou já ter conversado com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Sandoval Feitosa, para que o plano de ação de emergência da barragem seja iniciado, e as pessoas que vivem perto dessa área sejam retiradas dos locais de risco.

A previsão para as chuvas é de que elas continuem até sábado (04/05), sendo que em regiões como noroeste, norte, central e vales com a possibilidade de 200 mm de precipitação. Segundo Eduardo Leite, os rios atingidos vão continuar a subir durante o fim de semana e devem demorar a baixar. Por isso os moradores dessas localidades são orientados a se afastarem das suas casas por segurança.

“Declaro aqui toda nossa solidariedade” disse o governador Ronaldo Caiado

Corpo de Bombeiros Militar de Goiás enviou equipes para o Rio Grande do Sul Foto: CBMGO

Com a intenção de ajudar nas operações de resgate no Rio Grande do Sul, o corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás enviou nesta sexta-feira (30/05) uma equipe com 21 profissionais, 6 viaturas, 4 embarcações, e 4 cães de resgate para Porto Alegre.

Treze dos profissionais enviados para o estado são especialistas em salvamento em áreas deslizadas e colapsadas, quatro são mergulhadores de segurança pública e quatro binômios com cães de resgate. Ao chegar no destino passarão a integras as ações do Conselho Nacional dos Corpo de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom), comandado pelo coronel Washington Luiz Vaz Júnior.

De acordo com o comandante essa viagem para o Rio Grande do Sul mostra a empatia e profissionalismo dos homens e mulheres da corporação diante dessa catástrofe. “O Corpo de Bombeiros do Estado de Goiás não medirá esforços para apoiar, em todos os aspectos, a população sulista atingida nesta horrível catástrofe”, declarou o coronel.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado apoiou a medida por meio de uma postagem em suas redes sociais: “Declaro aqui toda nossa solidariedade aos gaúchos. Contem com o estado de Goiás e com a solidariedade do povo goiano”.

Outras equipes do Corpo de Bombeiros também enviaram ajuda para o Rio Grande do Sul, o estado conta com a colaboração de Santa Catarina, São Paulo e Paraná, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e do Rio de Janeiro.

Compartilhar em:

Notícias em alta