Hoje é 18 de abril de 2024 14:30
Hoje é 18 de abril de 2024 14:30

Por falta de provas, babá e marido suspeitos de estupro são soltos

Polícia Civil concluiu a investigação no dia 5 de janeiro e os suspeitos saíram da prisão nesta quinta-feira e não foram indiciados inicialmente

A babá e o marido dela, suspeitos de estuprar uma bebê de um ano e oito meses foram soltos, nesta quinta-feira (12/1). A decisão aconteceu após a Justiça determinar que a soltura de ambos aconteceu porque a investigação inicial apontou falta de provas. 

De acordo com a mãe da bebê, há um laudo que consta “presença de lesão compatível com ato libidinoso”. Ela ainda afirma que após a notícia que de que a babá e o marido dela haviam saído da prisão, ela está à base de remédios.

“Eu não dou conta de dormir, estou à base de remédios. A minha filha sempre foi muito doce, muito tranquila, mas ela está muito agitada, não dorme, não come. Quando eu descobri a soltura, meu mundo acabou. Estou com muito medo, eles não podem ficar soltos”, destaca a mãe.

Segundo relato da mãe, o crime teria acontecido no dia 30 de dezembro, em Goiânia. No dia, a babá levou a menina para a casa dela sem autorização.

A prisão do casal aconteceu no dia seguinte, mas a Polícia Civil concluiu a investigação no dia 5 de janeiro e os suspeitos não foram indiciados inicialmente. Segundo a delegada Caroline Borges, o motivo é por falta de provas.

No dia em que tudo aconteceu, após perceber ferimentos na criança, a mãe disse que levou a bebê a uma unidade de saúde, onde ela diz que os médicos confirmaram que as lesões tinham característica de abuso sexual e orientaram que ela fosse ao Instituto Médico Legal (IML). Após a orientação dada pela primeira equipe médica, a criança foi levada pela mãe ao IML.

Mesmo com os laudos, no último domingo (8/1), a delegada Caroline Borges explicou que um dos exames realizados na bebê não encontrou esperma no corpo dela e, pela falta de provas, os suspeitos não foram indiciados inicialmente. 

Porém, a delegada também afirmou que um exame de DNA ainda não tinha ficado pronto e que isso poderia mudar a situação.

O pai da bebê diz que a filha está recebendo muito amor e que espera que ela volte a ter uma vida normal.

“Estamos dando muito amor e atenção a minha filha, é algo que ficará marcado na vida dela. Ela ainda está muito assustada, não aceita a imagem masculina a não ser a minha, nervosa, porém espero que aos poucos ela volte ao normal”, afirma o pai.

Ele ainda completa dizendo que ao saber sobre a soltura da babá e do marido dela, a sensação foi de impunidade.

“Receber a notícia foi de total impunidade! Três laudos apontando o abuso, o MP diz que precisam de provas mais robustas? Temos advogados que serão assistentes de acusação e vamos mostrar que os culpados merecem estar na cadeia, não em liberdade”, desabafa.

O inquérito foi encaminhado ao Poder Judiciário, que definiu o caso como segredo de Justiça.

As defesas dos suspeitos ainda não se pronunciaram sobre a soltura deles.

Compartilhar em:

Notícias em alta