Hoje é 20 de abril de 2024 13:32
Hoje é 20 de abril de 2024 13:32

Para Caiado, reajuste da passagem no Entorno do DF penaliza trabalhador

Governador propôs alternativa com a criação do Consórcio Interfederativo, que pode subsidiar valor da tarifa, a exemplo do que foi implantado na região metropolitana de Goiânia
Governador Ronaldo Caiado comenta reajuste da passagem no Entorno: “Se não buscarmos uma forma sustentável de subsidiar o serviço, como fizemos em Goiânia, o sistema vai colapsar no Entorno” // Foto: Secom

O governador Ronaldo Caiado se posicionou contra o reajuste da passagem do transporte coletivo na região do Entorno do Distrito Federal, anunciado na sexta-feira (11/8) pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O órgão regulatório autorizou aumento de 15%, fazendo com que, a partir de domingo (13/8), as passagens cheguem até a R$ 10,15, no caso dos moradores de Santo Antônio do Descoberto.

“É uma medida que vai penalizar muito uma população trabalhadora e não resolve o problema estrutural do transporte coletivo na região. Se não buscarmos uma forma sustentável de subsidiar o serviço, como fizemos em Goiânia, o sistema vai colapsar no Entorno”, aponta Caiado, citando que diversos centros urbanos no Brasil e em outros países têm buscado soluções que afetem o mínimo possível o bolso do usuário, mantendo a qualidade do serviço.

“Grande parte da mão de obra de Brasília vive nos municípios goianos vizinhos e esses trabalhadores vão pagar tarifas muito pesadas para um serviço que não tem qualidade. São trabalhadores que muitas vezes ganham apenas um salário mínimo e deixarão quase metade do vencimento só no transporte. É injusto”, acrescenta.

A responsabilidade sobre o transporte coletivo na região é da União, por meio da ANTT. Desde o ano passado Caiado tem buscado, junto ao governo federal e ao governo do Distrito Federal, um acordo para que seja criado um consórcio interfederativo que subsidie parcialmente o valor da passagem, impedindo reajustes e permitindo investimentos na modernização do sistema, a A exemplo do que foi feito com o transporte coletivo na Região Metropolitana de Goiânia, atendendo 18 municípios.

O modelo de subsídio compartilhado criado pelo governo estadual na Grande Goiânia garante a manutenção da tarifa em R$ 4,30 desde 2019, e a concessão de benefícios como Meia Tarifa e Cartão Família. As medidas resultaram em crescimento do número de usuários do sistema de transporte, que vinha caindo há mais de década.

No caso do Entorno, a proposta do governo de Goiás é criar uma comissão para calcular a chamada “tarifa técnica”, na qual se aplica o subsídio, e, consequentemente, o preço final pago pelo usuário. A medida deve beneficiar mais de 175 mil pessoas.

A criação do Consórcio Interfederativo da Região do Entorno do Distrito Federal (DF) foi o projeto mais votado na categoria “Integração e Desenvolvimento Regional” do Brasil Participativo, para inclusão no Plano Plurianual (PPA) – que define as prioridades de investimentos do governo federal até 2027. A votação popular garantiu o primeiro lugar na disputa entre mais de 100 projetos da categoria, numa ação virtual que contou com o engajamento pessoal de Caiado.

Em fevereiro, o governador goiano conseguiu suspender um reajuste de 40% previsto pela ANTT, após conversa com o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha. No entanto, a agência de transporte já havia sinalizado que pretendia levar adiante o aumento.

O governo de Goiás também conseguiu incluir como prioridade no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, a extensão do BRT que está em construção no DF e vai até Santa Maria. O projeto é levar o BRT até Luziânia, passando por Valparaíso, para atender um contingente populacional em torno de 500 mil pessoas.

Compartilhar em:

Notícias em alta