Hoje é 22 de maio de 2024 10:37
Hoje é 22 de maio de 2024 10:37

Operação prende suspeitos de matar homem e filha de 2 anos

Ação conjunta de policiais civis de Goiás e Mato Grosso investiga duplo homicídio ocorrido em fevereiro em Barra do Garças, quando traficantes atiraram contra rival
Além de prisões, operação cumpriu mandados judiciais de buscas e medidas de inteligência, como quebra de sigilo telefônico // Fotos: Divulgação/PCGO

Policiais civis de Goiás e de Mato Grosso prenderam, nesta terça-feira (2/4), em Goiânia, três suspeitos de participar do assassinato de um homem e a filha dele, de dois anos. A investigação apura um núcleo de traficantes goianos responsáveis por matar as duas vítimas em Barra do Garças, no Mato Grosso. O duplo homicídio ocorreu no dia nove de fevereiro.

No total, a operação conjunta cumpriu 12 mandados judiciais, entre buscas, prisões e medidas de inteligência, como quebra de sigilo telefônico. Além de Goiânia e Aragarças, em Goiás, e cidades do Mato Grosso, a ação também ocorreu no estado do Rio de Janeiro. Mais de 20 policiais civis participaram da operação.

Segundo o delegado Rhaniel Almeida, da Polícia Civil, com os suspeitos foram apreendidos celulares e veículos, sendo um deles um carro de luxo. Além do homicídio, os investigados são suspeitos de tráfico de drogas.

Além das três pessoas presas suspeitas de participar do crime, um quarto suspeito continua foragido.

Entenda o caso

João Vitor Menez Soares (foto), de 22 anos, e sua filha de dois anos foram mortos a tiros por dois homens que invadiram a casa deles em Barra do Garças, no Mato Grosso, no dia nove de fevereiro. A mãe da criança e companheira de João também foi baleada, mas sobreviveu.

À polícia, a mulher relatou que os três estavam em casa quando foram surpreendidos pelos suspeitos. Após o crime, a dupla fugiu do local.

João Vitor foi encontrado morto quando os policiais chegaram. A criança foi levada pela mãe a uma unidade de saúde, mas já chegou morta.

Segundo a polícia, João Vitor tinha anotações criminais e era foragido da Justiça. Segundo relatos da companheira, a família havia se mudado de Goiânia para Barra do Garças cerca de seis meses atrás.

Compartilhar em:

Notícias em alta