Hoje é 20 de abril de 2024 13:39
Hoje é 20 de abril de 2024 13:39

Justiça concede alvará de soltura a pastora dona de clínica clandestina

Conforme determinado pela Justiça, Suelen Amaral Klaus deverá cumprir prisão domiciliar com a utilização de tornozeleira eletrônica
A pastora Suelen Amaral Klaus cumprirá prisão domiciliar | Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) concedeu alvará de soltura para a pastora Suelen Amaral Klaus, proprietária de clínicas clandestinas em Anápolis que mantinha pacientes desnutridos e sob tortura. A decisão aconteceu na terça-feira (19/9).

Conforme determinado pela Justiça, a pastora deverá cumprir prisão domiciliar com a utilização de tornozeleira eletrônica.

Segundo a polícia, as pessoas internadas nas clínicas tinham entre 14 e 96 anos. Elas foram resgatadas com graves ferimentos e em estado de desnutrição em uma espécie de campo de concentração, em Anápolis. 

A ação policial aconteceu no dia 29 de agosto deste ano e prendeu seis pessoas responsáveis pela clínica clandestina, sendo o casal proprietário e mais quatro funcionários.

De acordo com as investigações, as vítimas eram mantidas em cárcere privado e tortura. Os pacientes eram levados de forma ilegal e involuntária ao local, onde eram trancados mediante pagamento de, no mínimo, um salário mensal. Entres os pacientes estavam pessoas com deficiência intelectual e física, além de dependentes químicos.

“Sem dúvida era um campo de concentração. Não tem outra denominação. As pessoas eram levadas para lá contra a vontade. Tinha um autista de 17 anos, que apanhava e levava banho de água fria para não gritar”, disse o delegado Manoel Vanderic.

Compartilhar em:

Notícias em alta