Hoje é 18 de abril de 2024 14:33
Hoje é 18 de abril de 2024 14:33

Israel afirma ter retomado controle de territórios e anuncia bloqueio a Gaza

Todavia, conflito ainda acontece em regiões específicas de Gaza; segundo o grupo Hamas, quatro prisioneiros israelenses e seus sequestradores foram mortos em ataques israelenses deste domingo
Segundo as autoridades locais, pelo menos 1.120 pessoas mortas | Fotos: Reprodução

Nesta segunda-feira (9/10), Israel afirmou que restabeleceu o controle das comunidades próximas a Faixa de Gaza. O ministro da defesa de Israel, Yoav Galant, também ordenou o bloqueio total em Gaza e disse: “sem eletricidade, sem alimentos e combustível”. Ele afirmou que a medida faz parte de um movimento contra pessoas violentas.

O porta-voz das forças militares de Israel disse que as tropas batalhavam em sete ou oito pontos nos arredores da Faixa de Gaza. Quatro divisões de combate foram instaladas no sul do país.

No entanto, segundo a defesa de Israel, a operação para estabelecer a segurança na região levou mais tempo do que o esperado.

Todavia, o conflito ainda acontece em regiões específicas de Gaza. Segundo o grupo Hamas, quatro prisioneiros israelenses e seus sequestradores foram mortos em ataques israelenses deste domingo.

No sábado (7/10), o grupo extremista armado Hamas lançou um ataque surpresa contra território israelense e lançou foguetes a partir da Faixa de Gaza. Além disso, homens armados invadiam o território israelense por terra, ar e mar. Em seguida, os israelenses declararam estado de guerra.

O ministro da Defesa israelense, Yoav Gallant, chegou a dizer que a Faixa de Gaza pagaria um “preço pesado, que vai mudar a realidade de gerações”.

De acordo com levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU), aproximadamente 123 mil pessoas foram internamente deslocadas dentro da Faixa de Gaza. A agência da ONU afirmou ainda que existem relatos de escassez de alimentos na região.

Segundo as autoridades locais, pelo menos 1.120 pessoas mortas, sendo 700 em Israel, 413 na Faixa de Gaza e 7 na Cisjordânia. Milhares de pessoas ficaram feridas.

Brasileiros desaparecidos

O brasileiro Rafael Zimerman ficou ferido com estilhaços de granadas durante o ataque e se recupera no hospital Soroka. A carioca Bruna Valeanu e o gaúcho Ranani Glazer, no entanto, continuam desaparecidos. Amigos chegaram a relatar que Glazer estava escondido em um abrigo, mas que o local teria sido invadido. Desde então, os familiares não receberam mais notícias do gaúcho.

Num relato feito para funcionários da embaixada do Brasil em Tel Aviv, outro brasileiro disse que se divertia com um amigo e uma amiga na mesma rave em que Glazer estava quando o bombardeio começou. O trio se dirigiu, então, a um bunker, que foi alcançado pela explosão de uma granada.

O festival Universo Paralello ocorria no deserto de Negev, de acordo com a BBC. O local fica localizado na região sul de Israel, próximo da Faixa de Gaza, por onde os militantes do Hamas invadiram o território israelense durante a ofensiva.

Missão resgate

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) decolou de Natal (RN) neste domingo (8/10) com destino a Roma, na Itália, para repatriar os brasileiros que tentam sair da Palestina ou de Israel devido ao conflito iniciado neste final de semana. A expectativa da FAB é que o avião siga da Itália e pouse em Tel Aviv na tarde de segunda-feira (9/10) ou na terça-feira (10/10) para a primeira repatriação de brasileiros.

No total, o governo reservou seis aeronaves para a repatriação. São dois KC-30, com capacidade para 230 passageiros cada, além de dois KC-390, com capacidade para 80 passageiros cada, e duas aeronaves cedidas pela Presidência da República, com capacidade de 40 passageiros cada.

“Nós vamos adequando o tamanho da missão em função das necessidades alocadas pelos nossos ministérios. Estamos com um brigadeiro lá na embaixada (de Israel) ajudando nessa consolidação de todos os brasileiros, de todas as embaixadas da região, Egito, Jordânia e Israel, para que possamos trazer todos os brasileiros que estão na região, logicamente aqueles que desejarem. Importante dizer que vários também já estão se colocando em aeronaves comerciais”, informou o comandante da FAB, tenente-brigadeiro do Ar Marcelo Damasceno.

O Itamaraty está monitorando os brasileiros na região e identificando aqueles que querem voltar ao Brasil. Há aproximadamente 14 mil brasileiros residentes em Israel e 6 mil brasileiros na Palestina, a grande maioria fora da área afetada pelos ataques.

A Embaixada do Brasil em Tel Aviv está publicando, em seu site, um formulário para inscrição de interessados nos eventuais voos de repatriação e transmitirá instruções para deslocamento ao aeroporto de Ben-Gurion à medida que se confirmem os voos.

O governo brasileiro montou no Itamaraty estrutura para o acompanhamento da situação dos brasileiros na região. Os plantões consulares da Embaixada em Tel Aviv (+972 (54) 803 5858) e do Escritório de Representação em Ramala (+972 (59) 205 5510), com Whatsapp, permanecem em funcionamento para atender nacionais em situação de emergência.

Compartilhar em:

Notícias em alta