Hoje é 22 de maio de 2024 12:30
Hoje é 22 de maio de 2024 12:30

Google veta anúncios de políticos nas eleições municipais de outubro

Plataforma informou que restrição começará em maio, quando entrarão em vigor resoluções do Tribunal Superior Eleitoral para limitar uso de inteligência artificial na campanha
Em nota, o Google informou que a empresa tem o compromisso global de apoiar a integridade das eleições e continuará a dialogar com autoridades em relação a este assunto // Foto: Reprodução

O Google anunciou nesta quarta-feira (24/4) uma medida significativa em relação às eleições municipais de outubro: a suspensão de anúncios políticos. A plataforma tomou essa decisão em consonância com a resolução aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em fevereiro deste ano, a qual visa restringir o uso de inteligência artificial (IA) durante a campanha e o período pré-eleitoral.

Além de proibir anúncios políticos, a resolução do TSE também estabelece a implementação de medidas para combater a disseminação de informações falsas ou descontextualizadas. O objetivo dessas medidas é garantir a proteção do direito de voto da população brasileira.

A decisão do Google representa um movimento significativo em direção ao cumprimento das diretrizes estabelecidas pelo TSE, demonstrando o compromisso da plataforma com a integridade do processo eleitoral e a mitigação de potenciais influências negativas.

“Vamos atualizar nossa política de conteúdo político do Google Ads para não mais permitir a veiculação de anúncios políticos no país”, informou a empresa, destacando que apoia a integridade das eleições.

“Essa atualização acontecerá em maio, tendo em vista a entrada em vigor das resoluções eleitorais para 2024. Temos o compromisso global de apoiar a integridade das eleições e continuaremos a dialogar com autoridades em relação a este assunto”, acrescentou a empresa.

Pelas regras da Justiça Eleitoral, as redes sociais deverão tomar medidas para impedir ou diminuir a circulação de fatos inverídicos ou descontextualizados. As plataformas que não retirarem conteúdos antidemocráticos e com discurso de ódio, como falas racistas, homofóbicas ou nazistas, serão responsabilizadas.

A resolução também regulamenta o uso da inteligência artificial durante as eleições municipais de outubro.

A norma proíbe manipulações de conteúdo falso para criar ou substituir imagem ou voz de candidato com objetivo de prejudicar ou favorecer candidaturas. A restrição do uso de chatbots (software que simula uma conversa com pessoas de forma pré-programada) e avatares (corpos virtuais) para intermediar a comunicação das campanhas com pessoas reais também foi aprovada.

O objetivo do TSE é evitar a circulação de montagens de imagens e vozes produzidas por aplicativos de inteligência artificial para manipular declarações falsas de candidatos e autoridades envolvidas com a organização do pleito.

Compartilhar em:

Notícias em alta