Hoje é 22 de maio de 2024 11:12
Hoje é 22 de maio de 2024 11:12

Goiás tem mais de 22 mil casos suspeitos de dengue registrados em 2024

Ronaldo Caiado declarou situação de emergência e convocou municípios a redobrar esforços no combate ao mosquito; Governo Federal estima que até o final deste mês mais de 400 mil casos da doença sejam confirmados no Brasil
Campanha de vacinação já começou nos estados onde os índices da doença estão mais alarmantes, em especial, para pessoas entre 10 e 14 anos // Foto: Ascom SES Goiás

O Estado de Goiás está em situação de emergência em saúde pública desde a última sexta-feira (03/02), após determinação do governador Ronaldo Caiado, após a Secretaria Estadual de Saúde registrar, por quatro semanas consecutivas, uma taxa de incidência de casos suspeitos de dengue acima do limite estabelecido no Plano de Contingência Estadual para Arboviroses.

O decreto concede autorização para a tomada de medidas preventivas visando evitar internações, casos graves e mortes. A Secretaria da Saúde de Goiás (SES) reportou 22.275 casos de dengue e duas mortes em 2024, representando um aumento de 58% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

O governador Ronaldo Caiado apelou à população para intensificar o combate aos criadouros do mosquito aedes aegypti, destacando a responsabilidade coletiva na limpeza para evitar a proliferação. “O lixo, a sujeira é o meio de proliferação do mosquito. Então, a limpeza deve continuar sendo feita. A responsabilidade é de todos nós”, ressaltou.

O decreto autoriza a dispensa de licitação e a implementação de medidas administrativas e assistenciais para conter o aumento de casos, incluindo aquisição pública de insumos e materiais, doação e cessão de equipamentos e bens, e contratação de serviços.

Municípios goianos intensificam ações de combate à dengue, como Aparecida de Goiânia, Uirapuru, São Luiz do Norte, Ceres, São João D’Aliança, Goianésia, Ouvidor, Acreúna, Britânia, Orizona, Turvelância, Itajá, Santa Helena, Araçu, Jussara, Palmelo, Jaraguá, Crixás, Rialma e Bonfinópolis.

Agentes de endemias estão recebendo treinamento da SES para combater a dengue nos municípios.

Até agora, 51 gabinetes foram instalados, e a SES capacitou representantes de 91 municípios de alto risco para o desenvolvimento da dengue. O Governador Caiado reuniu-se com prefeitos e secretários municipais de saúde, instando o empenho na instalação e funcionamento dos Gabinetes de Combate à Dengue.

A situação é parte de um cenário nacional alarmante, com o Brasil registrando 392.724 casos prováveis de dengue e 54 mortes confirmadas em 2024, segundo o Ministério da Saúde. Outros 273 óbitos estão em investigação. Quatro estados e o Distrito Federal decretaram situação de emergência em saúde pública, enquanto o município do Rio de Janeiro também enfrenta a mesma condição.

O país estima contabilizar mais de 4,1 milhões de casos em 2024, e a vacinação está sendo iniciada em 521 municípios considerados endêmicos para a doença, priorizando crianças e adolescentes de 10 a 14 anos, faixa etária com maior índice de hospitalizações por dengue, após os idosos.

Denúncias sobre criadoudoros do mosquito podem ser feitas pelo telefone 161 da AMMA

A Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) anunciou a confirmação de 1.104 casos de dengue nas primeiras cinco semanas de 2024, instigando preocupações nas autoridades de saúde. O titular da SMS, Wilson Pollara, ressalta a necessidade da colaboração da população, destacando que 75% dos focos estão dentro das residências. O Boletim Epidemiológico nº5 também destaca dois casos graves, alertando para a importância da prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor não apenas da dengue, mas também de zika e chikungunya.

Além das ações contínuas da gestão municipal, como visitas domiciliares, a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) pede a colaboração da população na correta disposição de resíduos para evitar a proliferação do mosquito. Os sintomas da dengue, que vão desde febre alta até dores musculares intensas e manchas vermelhas no corpo, são destacados. A população pode denunciar possíveis focos através do aplicativo “Goiânia contra o Aedes”, enquanto a limpeza de lotes baldios está sujeita a multas, visando combater a proliferação do mosquito e garantir a saúde pública.

Compartilhar em:

Notícias em alta