Hoje é 19 de maio de 2024 02:08
Hoje é 19 de maio de 2024 02:08

Goiânia recebe o primeiro ônibus elétrico da nova frota do Eixo Anhanguera

O modelo é biarticulado e possui autonomia de 200 quilômetros, ar condicionado, câmeras de segurança e internet wi-fi
Ainda neste ano, 80 ônibus elétricos vão ganhar as ruas e serão 150 até 2026, segundo informações do governo estadual // Fotos:Wesley Costa e Rômulo Carvalho

A tarde desta sexta-feira (23/02) foi marcada em Goiânia pela coletiva de imprensa em que foi apresentado o primeiro veículo elétrico destinado ao atendimento dos usuários do Eixo Anhanguera. O governador Ronaldo Caiado enfatizou a importância do novo veículo, destacando-o como moderno e capaz de proporcionar total conforto aos passageiros, beneficiando cerca de 150 mil usuários de uma linha que não via renovação na frota desde 2011.

A previsão é que até o final de 2024, cerca de 80 ônibus elétricos estejam circulando, chegando a um total de 150 até 2026. O modelo biarticulado possui autonomia de 200 quilômetros, ar condicionado, câmeras de segurança e internet wi-fi. As primeiras viagens serão destinadas a avaliar ajustes necessários na infraestrutura da rota existente.

Além da introdução da eletromobilidade, estão previstas obras de revitalização em terminais e 19 estações do Eixo Anhanguera, juntamente com a construção e reforma de pontos de parada, instalação de câmeras de monitoramento e adaptações nas garagens para recargas. O diretor-presidente da Metrobus, Francisco Caldas, recebeu as chaves do novo modelo do governador, celebrando o fato de a Metrobus se tornar a primeira empresa brasileira com frota totalmente eletrificada.

Governador Ronaldo Caiado anunciou diversas novidades para o transporte público na capital

O projeto, com investimento total de R$ 1,6 bilhão, destinará R$ 1,2 bilhão exclusivamente para aquisição da nova frota, que abrange melhorias em todo o transporte coletivo da Grande Goiânia. A iniciativa contemplará 1.170 novos ônibus climatizados até 2026, incluindo 150 elétricos, estendendo-se também ao Eixo BRT Norte-Sul e linhas alimentadoras. O aporte do Poder Público será de R$ 400 milhões, sem impacto na tarifa, mantendo o valor atual de R$ 4,30 para os usuários. 

O secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima, ressaltou o comprometimento da atual gestão em reformular o sistema sem aumentar a tarifa, em parceria com as prefeituras para solucionar o problema. O vice-governador Daniel Vilela, o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, o presidente da RedeMob Consórcio, Leomar Avelino, e o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano e Passageiros da Região Metropolitana de Goiânia (SET), Adriano Oliveira, também estiveram presentes na ocasião.

Compartilhar em:

Notícias em alta