Hoje é 19 de maio de 2024 01:46
Hoje é 19 de maio de 2024 01:46

Detran desarticula no Sul de Goiás quadrilha que ‘esquentava’ veículos furtados

Segundo presidente do órgão, esquema com participação de servidores e despachantes funcionava nos municípios de São Simão, Cachoeira Alta, Paranaiguara e Quirinópolis
De acordo com a direção do Detran, “tudo está sendo apurado”: “Essas pessoas terão direito à ampla defesa, mas continuaremos intolerantes com condutas erradas”, diz Waldir Soares // Foto: Divulgação

O Departamento de Trânsito de Goiás (Detran/GO) desarticulou uma quadrilha que permanecia cometendo fraudes nas unidades regionais do órgãos (Ciretrans) nos municípios de Paranaiguara, Cachoeira Alta e Quirinópolis, na região Sul do estado. Dois envolvidos foram presos.

Segundo o Detran/GO, a associação criminosa havia sido desbaratada há 30 dias, mas cooptou novos membros e continuava operando na região. Na ocasião, outros dois servidores haviam sido exonerados: um comissionado e outro cedido pela prefeitura de Paranaiguara. Agora, além dos dois outros servidores presos, há uma pessoa foragida.

Os dois presos foram liberados e responderão pelos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, falsificação de documento público e outros. Além dos dois servidores, mais de dez pessoas estão sob investigação. Entre elas três despachantes. Os arquivos das três Ciretrans foram apreendidos e serão auditados.

“A quadrilha voltou a atuar com toda a força e, dessa vez, foi feita a prisão de uma servidora na Ciretran de Paranaiguara e de um servidor na Ciretran de Cachoeira Alta. Eles foram conduzidos a delegacia de Quirinópolis e ali autuados”, afirma o presidente do Detran-GO, Delegado Waldir Soares, acrescentando ainda que há indícios da participação de servidores do Vapt Vupt e da sede da autarquia em Goiânia.

Nesse esquema ilegal carros cortados em Minas Gerais eram esquentados em Goiás pela quadrilha, que atuava nos municípios de São Simão, Cachoeira Alta, Paranaiguara e Quirinópolis.

“Está tudo sendo apurado. Essas pessoas terão direito à ampla defesa, mas continuaremos intolerantes com condutas erradas”, diz Waldir Soares, que visitou as cidades neste fim de semana para acompanhar as investigações e garante que o órgão continuará agindo com o máximo rigor para combater desvios e práticas criminosas.

“Errou, tem que ser punido independente de quem seja”, frisa.

Polícia Civil vai apurar ‘regularização’ de carros furtados

Ainda segundo Soares, o Detran-GO está finalizando a auditoria dos processos de transferência realizados na Ciretran de Paranaiguara. Na primeira etapa, dos 35 processos de transferência veicular auditados, 34 apresentaram indícios de fraude. Levantamentos apontam que o grupo atuava há dois anos. Por isso, outros processos vão passar por auditoria.

Entre as irregularidades está a transferência de veículos de pessoas falecidas sem o devido processo de sucessão. Antes mesmo do inventário ser finalizado, os veículos eram transferidos para terceiros de forma irregular. Daí o nome De Cujus, referente à operação realizada no final de fevereiro.

Há suspeitas ainda mais graves envolvendo a quadrilha. Levantamento preliminar aponta que o grupo “esquentou” o documento de um veículo que havia sido roubado em Minas Gerais. A Polícia Civil vai apurar também a atuação do grupo na regularização de veículos furtados e roubados em diversas regiões do País.

“Então, realmente, a gente desmantela mais uma quadrilha, semelhante àquela que atuava aqui na região metropolitana, em Aparecida de Goiânia. Pessoalmente, vamos dar um chocolate na Páscoa para essa quadrilha, afastando essas pessoas da linha de frente do trabalho”, afirma Waldir Soares.

Segundo ele, o Detran continuará intransigente no combate à corrupção”.

“Fica aqui o recado, o Detran vai continuar as ações. Temos outras 20 Ciretrans que estão sendo investigadas no Estado e vamos continuar praticando ações investigativas com o nosso serviço de inteligência, com o apoio sempre da polícia”, finaliza.

Compartilhar em:

Notícias em alta