Hoje é 16 de abril de 2024 09:55
Hoje é 16 de abril de 2024 09:55

Defesa solicita prisão domiciliar para pastora dona de clínica clandestina que mantinha pacientes desnutridos

Advogados alegam que estado de saúde de Suelen Klaus, que passou por cirurgia bariátrica recentemente, se agravou após a prisão
Suelen Klaus e o marido, pastor Ângelo Mário Klaus Júnior, são investigados por manter duas clínicas clandestinas em Anápolis | Foto: Redes sociais

A defesa da pastora Suelen Klaus solicitou à Justiça que a prisão preventiva dela, determinada na última quinta-feira (31/8) em audiência de custódia, passe para prisão domiciliar. A defesa alega que estado de saúde dela, que passou por cirurgia bariátrica recentemente, se agravou após a prisão.

A pastora é investigada pela Polícia Civil de Goiás como uma das proprietárias de clínica clandestina localizada na zona rural de Anápolis que mantinha pacientes em cárcere privado e sob tortura. 

Suelen Klaus e o marido, pastor Ângelo Mário Klaus Júnior, são investigados por manter duas clínicas clandestinas em Anápolis que abrigava 93 pessoas. Os pacientes, que sofreram maus-tratos, eram torturados e mantidos em cárcere privado, foram resgatados pela PC na última semana.

O pedido de prisão domiciliar foi feito durante audiência de custódia, porém foi negado. Por isso, o pedido foi reiterado neste final de semana. 

Suelen Klaus foi exonerada do cargo de gerente da Secretaria Municipal de Economia e Planejamento da Prefeitura de Anápolis na última quarta-feira (30/8). A decisão foi publicada no Diário Oficial do Município.

Em relação a situação do pastor Ângelo, a defesa não quis se pronunciar. Ele se entregou para a polícia no sábado (2/9) e passou por audiência de custódia, mas a prisão preventiva já havia sido decretada.

Compartilhar em:

Notícias em alta