Hoje é 21 de maio de 2024 06:22
Hoje é 21 de maio de 2024 06:22

Com dengue em alta, Goiás declara emergência em saúde

Medida autoriza atos excepcionais para combate à doença, como dispensa de licitação e contratação de pessoal por tempo determinado
Segundo Secretaria Estadual de Saúde, neste ano já foram registrados 22.275 casos de dengue e duas mortes no estado, aumento de 58% na comparação com o mesmo período de 2023 // Fotos: Marco Monteiro/Iron Braz

Em decreto publicado nesta sexta-feira (03/02), o Governo de Goiás declarou situação de emergência em saúde pública, após o Estado atingir, por quatro semanas epidemiológicas consecutivas, taxa de incidência de casos suspeitos de dengue acima do limite definido no Plano de Contingência Estadual para Arboviroses. O decreto autoriza medidas como dispensa de licitação e outras necessárias à contenção do aumento da incidência de casos, em especial a aquisição pública de insumos e materiais, doação e cessão de equipamentos e bens e a contratação de serviços.

Entre as medidas que podem ser determinadas, destaca-se a obediência aos critérios de diagnóstico estabelecidos pelas normas técnicas vigentes, aperfeiçoamento dos sistemas de informação, notificação, sendo que esta deve acontecer com agilidade e oportunidade, investigação e divulgação de dados e indicadores, bem como seguimento dos protocolos clínicos estabelecidos pelo Ministério da Saúde para manejo de pacientes com suspeita ou confirmação de arboviroses.

Neste ano já foram registrados 22.275 casos de dengue e duas mortes no estado, o que representa um aumento de 58% na comparação com o mesmo período de 2023.

Com o decreto, as autoridades representativas dos órgãos estaduais poderão requisitar bens e serviços, tanto de pessoas naturais como de jurídicas, sendo-lhes assegurada justa indenização, nos termos da legislação vigente. Fica admitida ainda a contratação de pessoal por tempo determinado, o remanejamento, lotação ou colocação em exercício provisório dos servidores da SES, de acordo com a necessidade levantada pelas áreas técnicas.

O decreto traz também recomendações aos gestores dos municípios tais como a suspensão de férias e folgas de agentes de combate a endemias e servidores de unidades de saúde. E determina ainda atuação conjunta para execução de atividades de visitação domiciliar e demais ações de campo visando o combate ao mosquito aedes aegypti.

Caiado: ‘A responsabilidade é de todos nós

Diante do quadro, o governador Ronaldo Caiado pede que todos redobrem o cuidado para acabar com os criadouros do mosquito.

“O lixo, a sujeira é o meio de proliferação do mosquito. Então, a limpeza deve continuar sendo feita. A responsabilidade é de todos nós”, ressaltou.

O secretário de Saúde, Rasível dos Reis, afirma que o Governo de Goiás já desenvolve uma série de ações, como abertura da Sala de Situação das Arboviroses e do Gabinete de Combate à Dengue, com o objetivo de monitorar a situação epidemiológica e apoiar os municípios nas iniciativas de combate ao mosquito.

“O governador Ronaldo Caiado tem conclamado todos nossos esforços, com a participação dos municípios e da população nessa guerra pela vida, na qual todos temos responsabilidade”, diz Rasível, acrescentando que 56 municípios goianos estão em fase de emergência.

Na avaliação do secretário a circulação viral do DenV-3 no Brasil é preocupante e pode provocar uma inversão sorológica, acarretando no aumento do número de casos devido à susceptibilidade da população ao vírus, uma vez que, em anos anteriores, houve predomínio dos sorotipos DenV-1 e DenV-2.

Compartilhar em:

Notícias em alta