Hoje é 19 de maio de 2024 02:04
Hoje é 19 de maio de 2024 02:04

Clientes reclamam do atendimento prestado pela Hapvida em Goiás

Procon suspendeu a venda de novos planos de saúde até que a empresa comprove a melhoria no atendimento
Pronto socorro do Hospital Jardim América Foto: Portal Notícias Goiás

A empresa Hapvida Assistência Médica SA foi alvo de críticas dos pacientes na última semana, segundo relatado pelos usuários do plano de saúde havia uma demora excessiva no atendimento, equipamentos quebrados, falta de acomodação e internação.

Na última sexta-feira (12/04), o Procon Goiás recebeu denúncias sobre o serviço prestado. Um homem de 41 anos teria ficado esperando 17 horas até ser atendido, de acordo com os fiscais, ele teria chegado às 18h no dia 11 de abril, mas só conseguiu realizar os exames no dia seguinte, às 11h50.

Nesta segunda-feira (15/04), a equipe do Procon Goiás autuou novamente a empresa e suspendeu a venda de novos planos de saúde, medida cautelar que tem duração de 7 dias, mas pode ser prorrogada caso a empresa não comprove a melhoria no serviço em todo o estado.

Nessa data os fiscais constataram que não havia triagem dos pacientes no pronto-atendimento, equipamentos importantes como medidores de pressão estavam estragados, leitos de internação não tinham lençóis e profissionais manuseavam medicamentos e seringas que estavam em bandejas em cima de lixeiras.

Inspeção feita pelo Procon Goiás. Foto: Procon Goiás

Segundo Fernanda Feliciano, filha de uma paciente internada no Hospital Jardim América e cliente da Hapvida, a sua experiência com o plano de saúde não é boa. Ela afirma que a mãe precisou ficar sentada em uma poltrona esperando a vaga no apartamento. Fernanda afirma que durante a espera, que durou várias horas, não houve atendimento, aplicaram somente um remédio para a dor.

A cliente ainda comenta que um erro médico quase resultou na morte da paciente. “Eles levaram ela para fazer uma tomografia e por questões de segundo, eles não tinham aplicado o iodo nela. E queriam culpar a minha sobrinha que estava acompanhando ela. Se a responsabilidade é dos profissionais, uma pessoa leiga não vai entender e mesmo assim eles levaram ela e por questão de segundo não tinha matado a minha mãe.”, afirmou Fernanda sobre o atendimento que a mãe recebeu no Hospital Jardim América.

Mas nem todas as críticas à empresa são negativas. De acordo com Auberlani Miranda, paciente que foi atendido no mesmo hospital, a sua experiência foi boa. “As vezes que eu vim aqui eu fui atendido bem, bem rápido também, às vezes que eu precisei tomar medicamento fui atendido também”, disse ele.

Gleiry Reis, outra cliente do plano de saúde, afirma que foi a primeira vez que teve problemas com o atendimento. Gleiry cita que nunca teve problemas com a empresa, e que a lotação pode ter sido causada pelo aumento da demanda nos últimos dias.

A Hapvida pode receber uma multa que varia entre R$ 754 a 11 milhões. Variação que depende da extensão do dano, gravidade e do faturamento da empresa.

Caso precise denunciar, o consumidor deve entrar em contato com o Procon Goiás pelos telefones 151 (Goiânia) e (62) 3201-7124 (interior). A reclamação pode ser feita também pela internet, por meio da plataforma Procon Web (proconweb.ssp.go.gov.br).

Nota à imprensa

A empresa informa que respeita e está à disposição do Procon-GO para quaisquer esclarecimentos, em nome do absoluto compromisso com a saúde dos seus beneficiários.

A respeito das fiscalizações realizadas nos últimos dias, esclarece que tem reforçado o número de médicos, equipes de atendimento e colaborado com as informações solicitadas, tendo em vista que, nas últimas semanas, toda a rede pública e privada de saúde têm enfrentado um aumento importante nas demandas de urgência e emergência, causadas por quadros epidemiológicos que assolam o país.

A autuação está sendo analisada e a Companhia prestará os devidos esclarecimentos ao órgão, bem como vem adotando todas as medidas necessárias ao aprimoramento e adequação dos serviços prestados na unidade.

Compartilhar em:

Notícias em alta