Hoje é 16 de abril de 2024 11:18
Hoje é 16 de abril de 2024 11:18

Ciclone: sobe para 39 o número de mortes confirmadas pelo governo do Rio Grande do Sul

Governador Eduardo Leite confirmou que se trata da pior tragédia natural que já atingiu o estado; há mais de 6 mil pessoas fora de casa por conta do temporal
Cidade de Santa Tereza ficou inundada após passagem do ciclone | Foto: Batalhão Ambiental da Brigada Militar/Divulgação

O governo do Rio Grande do Sul confirmou, nesta quinta-feira (7/9), mais duas mortes causadas pela passagem do ciclone extratropical no Estado. Os dois novos óbitos foram registrados em Imigrante e Cruzeiro do Sul, ambas localizadas no Vale do Taquari, região mais afetada pela enchente.

Com essa informação, o número total de vítimas no Rio Grande do Sul agora é 39. Além das duas cidades onde foram registrados novos os óbitos, outros municípios também tiveram vítimas fatais: Passo Fundo (1), Mato Castelhano(1), Ibiraiaras (2), Lajeado (3) e Estrela (2).

Além dessas, também registraram óbitos a cidade Encantado (1), Muçum (14), Roca Sales (9) e Santa Tereza (1). No total, Imigrante registrou um óbito e Cruzeiro do Sul subiu para quatro mortes confirmadas.

Outra informação repassada pelo governo é de que que há registro de nove pessoas desaparecidas, todas em Muçum. Aproximadamente 2,7 mil pessoas já foram resgatadas por equipes do governo nos 80 municípios afetados. 

Entre desabrigados e desalojados, há mais de 6 mil pessoas fora de casa por conta do temporal no RS.

As mortes registradas no RS já superam a maior tragédia natural das últimas quatro décadas no estado.

Durante uma entrevista na noite de terça-feira (5/9), o governador Eduardo Leite confirmou que se trata da pior tragédia natural que já atingiu o estado.

O fenômeno teve origem em um sistema de baixa pressão, que provocou chuvas intensas ao longo da segunda-feira (4/9). Conforme se deslocou em direção ao oceano, o fenômeno ganhou intensidade. O ciclone formou-se a noite.

Compartilhar em:

Notícias em alta