Hoje é 16 de abril de 2024 10:40
Hoje é 16 de abril de 2024 10:40

Caiado volta a criticar MST e diz ter certeza que Lula será candidato à reeleição

Em entrevista ao programa Pânico, governador goiano destacou resultados de sua gestão na segurança pública e na educação e defendeu políticas sociais de emancipação da população carente
Ronaldo Caiado durante participação no programa Pânico: político também opinou sobre as próximas eleições presidenciais e elogiou Tarcísio de Freitas e Romeu Zema // Fotos: Secom

O governador Ronaldo Caiado (Republicanos) voltou a criticar o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e afirmou que a organização não tem registros de invasões em Goiás, durante seu governo. As afirmações foram feitas durante o programa Pânico, da Jovem Pan, em São Paulo, nesta segunda-feira (14/8).

“Não devia estar existindo mais no Brasil, isso é inaceitável e inadmissível. Um país com tamanha capacidade de pesquisa e desenvolvimento da agropecuária, fica imaginando um cidadão que se acha no direito de invadir propriedade. Goiás não tem nenhuma invasão, não existe. Nem em beira de rodovia, nem em lugar nenhum”, disse.

O político ainda avaliou que os governadores do Brasil deveriam se unir contra o crime organizado e temer o exemplo de países como Colômbia e México.

“Onde já se imaginou um país que quer crescer e que acha que nós podemos deixar proliferar essa irresponsabilidade completa? Amanhã vai ficar igual na Colômbia e no México se não dermos um avanço, esse nível de responsabilidade”, comparou.

Para o futuro da direita, Caiado elogiou nomes como os de Romeu Zema (Novo) e Tarcísio de Freitas (Republicanos), governadores de Minas Gerais e São Paulo.

“Tarcísio sai lá na frente, é um bom gestor, inteligente e preparado. Uma pessoa que eu tenho o maior carinho”, avaliou, acrescentando que hoje “está muito mais fácil” para a direita e que difícil era na sua época.

Caiado disse acreditar que Lula (PT) será candidato à reeleição, em 2026: “Tenho certeza que o Lula é candidato à reeleição, se tem um que é certeza é ele”.

O governador goiano ainda avaliou como curto o mandato de quatro anos para governantes, sugerindo um período maior, sem reeleição.

“O que você tem hoje no Brasil são quatro anos, acho muito pouco. Deviam alongar e dar apenas um. Até você implantar o seu estilo de governar, você não conclui nada. Trabalhar de 5 a 6 anos já daria uma margem para se comparar a outros países e mostrar à população o que você veio fazer. É difícil perder com a máquina do governo federal, é um canhão”, opinou.

Bandido não cresce em Goiás’

Durante o programa, Caiado destacou avanços da segurança pública em Goiás e as ações de seu governo que, segundo ele, visam romper o ciclo da pobreza. E voltou a repetir o bordão “bandido não cresce em Goiás”.

Para o chefe do Executivo estadual, a segurança em Goiás é resultado do trabalho integrado das forças policiais, com sofisticação na área de tecnologia, informação e batalhões especializados com independência para atuar.

“Temos segurança no estado, todo mundo é livre para transitar por todos os lugares”, afirmou Caiado, ao citar a diminuição no número de roubos nas cidades e na zona rural e o fim dos assaltos a bancos.

O governador comentou ainda sobre o salto educacional e os programas na área social.

“Me preocupei em romper o ciclo da pobreza em Goiás.

Caiado explicou que o principal pilar é a educação e que o objetivo é preparar crianças e adolescentes para terem autonomia e transformarem a realidade social.

“No meu estado, forneço benefícios, sim, mas o que comemoro são quantas famílias conseguimos emancipar”, disse o governador.

Compartilhar em:

Notícias em alta